Translate - Tradutor

VISITANTES

Seguidores Amados

Pesquisar este blog

6 de jul de 2007

Vida, vida, vida...


O começo e o fim do meu perfil... Vida, vida, vida...
Quem sou eu? Bom eu andei pensando e acho que tenho que perguntar, quem eu fui, quem eu sou e quem eu serei! Por que quando somos crianças (quando eu fui pelo menos), somos "seres" mágicos, tudo o que fazemos e imaginamos é fantástico, comer um biscoito de chocolate, tomar um sorvete, passear e brincar na escola. Vivemos temporariamente na "Terra do Nunca", somos todos Peter´s, claro que tem que ter o apoio de nossos pais, para ajudar a criar a atmosfera necessária  Depois passamos para a adolescência, então tudo é "festa", as amizades se tornam concretas e eternas, os amores são "complexos".Sentimos diariamente o "friozinho na barriga", com coisas pequenas, viagens novas, novos paqueras, novas escolas, o vestibular, a tão sonhada ingressão na faculdade, mais amigos, mais amores. Na vida adulta, é a fase mais difícil de se passar (na minha opinião), tudo se torna realmente concreto, no caso cinza! Chegam as contas a se pagar, os problemas que muitas vezes aumentamos para resolver, os filhos para criar, temos que dar satisfação ao marido, ao chefe, trânsito, pressa, tudo correria e stress, eu ainda não aprendi a ver com bons olhos a vida adulta e então é que eu faço a pergunta, quem sou eu? Hoje? Não sei definir, sei te dizer quem eu fui, com certeza (e fui muito muito feliz). Também posso dizer quem quero ser, mas fica muito indefinido quando não sabemos o momento que estamos vivendo. Você sabe se auto-definir? Não é extremamente difícil essa auto-analise? Quem sabe quando eu estiver com certeza do que eu virei eu te diga. E você sabe dizer quem foi e quem é, até quem vai ser? O importante é sempre estar feliz e de bom humor, e com certeza sermos otimistas! O ontem já se foi, o amanha é surpresa, só o que resta e o agora ... viva o hoje!
 

Nenhum comentário:

Poesias,Contos...Queria viver deles...

"Escrever é procurar entender, é procurar reproduzir o irreproduzível, é sentir até o último fim o sentimento que permaneceria apenas vago e sufocador. Escrever é também abençoar uma vida que não foi abençoada."
Clarice Lispector

Volte Sempre

Sua visita me deixa muito feliz