Translate - Tradutor

VISITANTES

Seguidores Amados

Pesquisar este blog

13 de ago de 2009

É impossível viver sem sentir dor?

De repente um aperto no coração, bem no centro do peito. Sem nenhum motivo aparente, sentimos uma espécie de desconforto e, em seguida, sentimos medo. Quanto mais resistirmos a essas sensações, mais apertado ficará nosso peito. Em momentos como esse, o melhor que temos a fazer é investigar com coragem o motivo dessa sensação. Por que afinal estou com medo? Por que meu coração está apertado? Qual o perigo real dessa situação? O que pode acontecer realmente? Todos nós sentimos alguma espécie de dor. Mas será que é impossível viver sem sentir dor?

A psicologia corporal profunda nos ensina que quando não sentimos nenhuma espécie de dor é sinal de que a estamos negando, e isso acaba por desencadear estados de ansiedade ou entorpecimento. É como se estivéssemos vivos pela metade. Toda experiência e crescimento humano é carregada de dor. Diz o ditado que crescemos por meio do amor ou da dor, no entanto, acredito que ainda nos encontramos em um estágio de evolução onde a ignorância prevalece sobre a consciência. E é a ignorância que nos leva a esse sentimento.


A dor existe para resolvermos uma crise, que sempre é desencadeada quando nos recusamos a fazer as mudanças necessárias em nossas vidas. Toda energia que pede movimento, espaço para fluir, deve ser respeitada e esse espaço deve ser dado. Caso contrário, estaremos deflagrando um processo de crise. Quando nos negamos às mudanças, impedimos que esse movimento aconteça e, por conseguinte, impedimos o fluxo da própria vida. Cria-se dessa forma uma energia morta, como água parada, que apodrece e começa a nos fazer mal. Esse estado que criamos se chama dor.

Mas porque resistimos tanto às mudanças se sabemos que elas são inevitáveis e necessárias para o nosso crescimento? Simplesmente porque temos muito medo do novo, do desconhecido. Para algumas pessoas, infelizmente, todo lugar conhecido, por pior que seja, muitas vezes é melhor do que o desconhecido, permanecemos assim na zona de conforto. Mudar requer força, muitas vezes sacrifício, coragem e muito trabalho. No entanto, se você permanecer em um estado de estagnação, sua dor não cessará enquanto não fizer as mudanças necessárias, as mudanças que sua alma pede para a continuidade de sua evolução.



Portanto, quando o momento de crescer chegar, dê o primeiro passo que a própria vida mostrará a você o resto do caminho. Só não pode ficar parado com cara de paisagem, fingindo que não é com você. É com você sim e é preciso ter coragem para seguir adiante. Caso você escolha ficar sempre no mesmo lugar, não terá direito a reclamações ou queixas. A responsabilidade por sua vida e por suas escolhas é somente sua.


Normalmente, quando você decide pela mudança, metade de sua dor vai embora, você começa a sentir alívio. Isso acontece porque a dor nasce do conflito; sem conflito, não existe dor. Mas quando há conflito é necessária a consciência. Você precisa conhecer profundamente os motivos que o estão levando a um estado de dor. A dor é o resultado da luta entre a vida e a vontade de estagnação, ou seja, a força da "não vida". Por isso sempre falo a todas as pessoas da necessidade que temos em nos conhecer.

O autoconhecimento é o primeiro passo que damos em direção à consciência dos motivos que trazemos em nós e que são desencadeadores de dor. Ninguém deseja, ao menos conscientemente, sentir dor alguma. Por isso, minha proposta a você é que procure conhecer seus motivos, suas ações e reações, seus pensamentos e emoções o mais profundamente que conseguir. Somente dessa forma você poderá, já que todo processo de dor ainda é inevitável, tê-la sob seu controle e não o contrário.

_ Adoro Tudos Vocês_

Nenhum comentário:

Poesias,Contos...Queria viver deles...

"Escrever é procurar entender, é procurar reproduzir o irreproduzível, é sentir até o último fim o sentimento que permaneceria apenas vago e sufocador. Escrever é também abençoar uma vida que não foi abençoada."
Clarice Lispector

Volte Sempre

Sua visita me deixa muito feliz